Tecnologia/Atualidades


19/01/2011


Teremos olhos de Superman?

Lentes de contato inteligentes projetarão imagens na retina

Com informações da New Scientist - 17/01/2011

Lentes de contato inteligentes projetarão imagens na retina
A empresa suíça Sensimed está colocando no mercado as primeiras versões de uma lente de contato inteligente voltada para melhorar o tratamento de pessoas com glaucoma. [Imagem: Sensimed]

Da próxima vez que você olhar bem fundo nos olhos de alguém e ver um microcircuito eletrônico, não precisa sair correndo achando que aquela pessoa foi assimilada pelos Borgs.

Lentes de contato capazes de monitorar a saúde dos olhos já estão próximas de estrear no mercado.

O campo da realidade aumentada também é florescente. Mas os cientistas agora foram mais longe, inaugurando o campo da "visão aumentada".

Projetar imagens na retina

Uma nova geração de lentes de contato inteligentes, com microcircuitos eletrônicos integrados, serão capazes de projetar imagens diretamente na retina, criando telas que permitirão uma experiência inédita de realidade virtual e realidade aumentada.

Esses projetores instalados diretamente na superfície dos olhos não apenas dispensarão os projetores de cabeça ou instalados em óculos, como permitirão que os usuários assistam seus vídeos de olhos fechados.

Para isso, os pesquisadores estão mesclando os materiais transparentes e biocompatíveis usados nas lentes de contato tradicionais, com circuitos microeletrônicos flexíveis.

Em 2008, a equipe do Dr. Babak Parviz, da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, deu o pontapé inicial nessa linha de pesquisas - veja Tela é construída em uma lente de contato.

Em 2010, a NEC apresentou o seu Tele Scouter, uma espécie de óculos-tradutor, capaz de projetar legendas diretamente na retina.

Lentes de contato inteligentes

Introduzir todo o aparato necessário para criar uma tela, ou um projetor, dentro de uma lente de contato, capaz de mostrar imagens em movimento diretamente na retina não será uma tarefa fácil, e é um desafio ainda a alguns anos de se realizar integralmente.

Mas os primeiros passos começaram a ser dados. A empresa suíça Sensimed está colocando no mercado as primeiras versões de uma lente de contato inteligente voltada para melhorar o tratamento de pessoas com glaucoma.

A doença aumenta a pressão sobre o nervo óptico pelo acúmulo de líquido, e pode causar danos irreversíveis à visão se não for devidamente tratada.

Sensores de platina altamente sensíveis, incorporados nas lentes Triggerfish da Sensimed monitoram a curvatura da córnea, que corresponde diretamente à pressão dentro do olho.

A lente transmite essa informação em intervalos regulares, por meio de uma conexão sem fios, para um gravador portátil usado a tiracolo pelo paciente.

A energia usada para alimentar a lente de contato inteligente é captada de uma antena embutida em uma espécie de curativo, colado na face do usuário, em um sistema similar ao usado nas etiquetas RFID.

Cada uma das lentes de contato descartáveis é projetada para ser usada apenas uma vez, por 24 horas, e o paciente repete o processo uma ou duas vezes por ano.

Isso permite aos médicos verificar picos na pressão ocular, que variam de paciente para paciente, durante o curso de um dia. Esta informação é então usada para programar os horários da medicação.

Lentes de contato inteligentes projetarão imagens na retina
No monitor implantado na lente de contato, os LEDs serão dispostos em um padrão de grade, e não deverão interferir com a visão normal quando a tela estiver desligada. [Imagem: University of Washington]

Monitor nos olhos

O Dr. Parviz, contudo, usou uma abordagem diferente, e aparentemente mais prática.

Seu sensor de glicose usa conjuntos de eletrodos para injetar pequenas correntes elétricas através do fluido lacrimal, detectando quantidades muito pequenas de açúcar dissolvido.

Estes eletrodos, juntamente com um chip de computador que contém uma antena de radiofrequência, são fabricados em um substrato plano feito de polietileno tereftalato (PET), um polímero transparente comumente encontrado em garrafas de plástico.

Depois de pronto, o material é então moldado em forma de lente de contato para se ajustar ao olho.

O uso de uma antena de maior potência permitirá que o usuário utilize apenas o gravador na cintura, dispensando o curativo-antena no rosto.

Tela na lente de contato

Mas a equipe do Dr. Parviz está fazendo progressos também na área das telas embutidas nas lentes de contato.

Eles já conseguiram incorporar LEDs em miniatura, nas cores vermelha e azul, dentro das lentes, criando uma óptica 3D que lembra os óculos usados para ver filmes 3D.

Para mostrar uma imagem completa, contudo, ainda falta desenvolver o micro-LED na cor verde, para gerar imagens em cores reais. E ainda falta combinar os LEDs e os circuitos ópticos na mesma lente de contato.

"Você não vai necessariamente ter de deslocar seu foco para ver a imagem gerada pela lente de contato," explica Parviz. "Ela vai simplesmente aparecer à sua frente."

Segundo o pesquisador, os LEDs serão dispostos em um padrão de grade, e não deverão interferir com a visão normal quando a tela estiver desligada.

AO LER ESTA NOTÍCIA FIQUEI A IMAGINAR, SERÁ QUE ESTE NOVO "RECURSO" TECNOLÓGICO, PODERÁ SER USADO PELA ELITE PARA FAZER AS PROVAS DE CONSCURSOS PÚBLICOS E SE "DAREM BEM?" HUMMMMMMM COITADOS DOS SEM ACESSO.

Leila Garrido

 

Escrito por Profª. Leila Garrido às 14h46
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

14/07/2010


 
 

Vitamina D e o mau de Parkinson confira a notícia clicando no link.

http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=vitamina-d-mal-parkinson&id=5446&nl=sit

Bastante interessante, vamos tomar banho de sol meu povo. rsrsrsr

Categoria: Link
Escrito por Profª. Leila Garrido às 16h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 
 

Esquecida eu? É só o efeito borboleta no meu cérebro.

http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=efeito-borboleta-detectado-cerebro&id=5410&nl=sit

Classificação:

Agora já tenho desculpas para os "brancos" que acontecem comigo. heheheheh

Categoria: Link
Escrito por Profª. Leila Garrido às 15h55
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 
 

Asfalto com bagaço de cana!

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=asfalto-interlagos-chegar-ruas&id=010125100713&ebol=sim

Classificação:

Excelente notícia para a mãe natureza.

Categoria: Link
Escrito por Profª. Leila Garrido às 15h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

02/07/2010


Baseado nos dois vídeos que anunciam e discutem a criação da Célula Sintética comentem no fórum sobre as seguintes questões:

  • De que modo tecnologia e conhecimento científico foram reunidos na produção da célula sintética?

O computador elabora a partir de leitura de códigos genéticos

a primeira criatura viva que não tem um ancestral, a célula sintética, o DNA foi gerado por um processo químico e desenvolvido por cientistas com a ajuda do computador. Não houve criação de vida, J. Craij Venter alterou o genoma, o código genético de uma bactéria e ela não apenas sobreviveu como passou a se multiplicar com novas características. O genoma é a receita que determina as características dos seres vivos, como tamanho, cor, habilidades. O que ele fez tecnicamente foi copiar vida, tinha todas as informações contida no genoma de uma determinada bactéria, a partir destas informações, utilizando reações químicas, ele conseguiu montar aquela informação do DNA, exatamente como se fosse o DNA natural. Montado esse genoma ele colocou este DNA dentro de uma carcaça de outra bactéria e ela começou a se dividir. (Globo News Especialistas discutem a criação revolucionária da célula sintética, fonte: You Tube) 

Segundo a descrição acima, fica bastante claro que há uma junção de valores científicos e tecnológicos para a elaboração da célula sintética, um complementa o outro, não se chegaria a elaborar esta descoberta deste porte, sem as duas ciências. Para mim elas estão imbricadas, uma depende da outra, complementam-se, daí aceito muito bem o termo criado por Latour (1987) tecnociências para definir esta nova forma de fazer ciências.

  • O que se pretende com a criação de uma célula sintética? E quais as conseqüências para a vida humana?

Eles dizem esperar que a técnica possa criar bactérias programadas para resolver problemas ambientais e energéticos, entre outros fins.

As conseqüências de algo que ainda não foi testado? Podemos apenas inferir hipóteses e/ou suposições tipos: um novo organismo jogado no mar com a intenção de absorver o derramamento do petróleo, por exemplo, poderá ser consumido pelos animais marinhos e estes sofrerem mutações. Ao consumirmos estes animais contaminados e/ou modificados, (lembrando que vivemos numa cadeia alimentar), podemos ter crises alérgicas, desenvolvermos alguma doença inexistente atualmente e que para ela não exista cura, ou em casos mais grave, nosso DNA também poderá sofrer mutação, como conseqüência podemos perder alguma das funções humanas.

Uma conseqüência positiva segundo o professor Henrique Gil da Silva Nunes Maia, do Departamento de Pediatria e Genética do CCM.[1] De modo imediato, o seqüenciamento de microrganismos patogênicos e o uso das novas tecnologias poderão contribuir para a fabricação de vacinas e de antibióticos inteligentes”.

Maia (10/06/10 10:14 h) também nos informa nesta entrevista Criação da 'célula sintética' abre novos caminhos na pesquisa genética que 

A espécie humana extinguiu milhares de espécies – algumas deliberadamente –, agora abre uma perspectiva real de também criar novas espécies e de reconstituir as extintas. Isto é simplesmente assustador, mas no meu entendimento um caminho inevitável.  A Espécie Humana caminha para tornar-se a dirigente e orientadora da evolução das espécies. O anúncio de James Craig Venter é perfeitamente compatível com isto, abre caminhos para a criação de novas espécies a partir de espécies pré-existentes.

  • Que implicações isto traz para abordagem de vida nos sistemas escolares?

A primeira delas é que os livros didáticos deverão sofrer modificações, explanando sobre a nova forma de vida e suas conseqüências positivas e negativas: a célula sintética, como foi pensada, elaborada e para que será utilizada; a segunda creio eu, ser o professor se apropriar deste novo conhecimento, para poder contextualizar nas aulas; em terceiro, se estas gerarem mutações, promoverem melhorias no meio ambiente ou em humanos e/ou provocarem doenças e mutações nos seres vivos, isto será motivo de uma mobilização escolar inter e extra muros, para orientar, prevenir e propagar os problemas gerados.

 Leila Cristina


Escrito por Professora: Leila Garrido às 16h18
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

01/07/2010


Tecnociência e o nosso Cotidiano

A tecnociência se faz presente no nosso cotidiano de diferentes maneiras, perpassando desde a nossa alimentação à reprodução como bem demonstrou o filme Gattaca. De que forma vocês visualizam esse enlace?

Esta questão para mim não ficou bem clara, vocês querem uma análise sobre o enlace da tecnologia e a ciência? Ou entre a tecnociência e o nosso cotidiano?

Vou me basear no texto Uma Tecnociência para o Bem-estar Social de Agustín Apaza Yanarico, acredito que queiram uma percepção nossa sobre a tecnociência e a nossa vida. A ciência e a tecnologia, ou a tecnociência, formam um aparato de extrema importância em diversos aspectos das sociedades modernas, excluo dos seus efeitos diretos algumas “tribos” do Brasil, da África e da Austrália. Por que efeitos diretos? Porque, por mais que estejam afastadas dos grandes centros urbanos e não queiram, ou até mesmo desconheçam nosso modo de vida, elas estão sendo monitoradas por diversos instrumentos científicos e tecnológicos, gerados por nossa sociedade.

Quanto a nós outros, estamos diretamente envolvidos na tecnociência, precisamos dela para: proteger a nossa saúde (vacinas, drogas medicamentosas, seringas e agulhas descartáveis, etc.); abrigar-nos com melhor qualidade; vestir-nos de modo a ficarmos confortáveis, bonitos e com a vantagem de não precisarmos gastar nosso tempo e nem eletricidade para passar as roupas; nos meios de transportes cada vez mais velozes (trens bala, metrô, aviões, carros e etc.); a grande transformação da agricultura e pecuária, para dar conta da grande população; o avanço midiático proporcionado pelas novas tecnologias (telégrafo, jornais, livros, telefone, rádio, televisão e agora a internet), enfim, é a tecnociência utilizando-se dos recursos que a mãe natureza os oferece, transforma-os, gerando outros recursos, para facilitar a vida humana na Terra.

Seria maravilhoso que a tecnociência nos trouxesse apenas as vantagens acima citadas, mas, infelizmente, ela nos proporcionou várias mazelas, exemplos: guerra química, o uso do conhecimento químico que deveria ser para obter a cura de diversos tipos de doenças, foi e está sendo utilizado para destruir nações; com a descoberta da manipulação dos metais, estes são transformados em armas de destruição, desde pequenos punhais até o uso dos mísseis submarinos e aéreos; sonhos como o de Leonardo da Vince e Santos Dumont, de criar meios para o homem voar e diminuir distâncias, são utilizados de forma vil, em guerras infundadas; a alimentação que deveria ter como objetivo proporcionar a todos este direito é cerceado pela ganância capitalista, vemos o nosso irmão morrer de fome, às vezes em áreas de alta produção; injetam hormônios nos animais, para acelerar seu crescimento e empregam inseticidas nas plantações para afastar as pragas e nós consumimos estes produtos que deveriam nos trazer saúde e nos trazem o maldito câncer, entre outras doenças.

“Se por um lado as descobertas científicas trás no seu bojo uma evolução” (Yanarico), por outro, o capital, proporciona a exploração do homem pelo homem, segundo nos ensina Marx, ou seja, destruímos a nós mesmo, quando exploramos as fontes da natureza de forma gananciosa, além de não permitir ao próximo, também usufruir das benesses da tecnociência, ou porque ele não dispõe de recursos financeiros, ou por não possuir bases intelectuais para exigir seus direitos sobre a Terra.

Quanto ao filme de ficção científica Gattaca, tentou demonstrar que o homem perfeito (mais inteligente, mais forte, com compleição física perfeita e etc.), não supera a força de vontade, obstinação e determinação humana. O filme nos propõe a reflexão sobre as verdades científicas, até que ponto o cientificismo tecnológico, pode determinar se um ser é mais competente que o outro, a partir de uma seleção genética. Eles não consideram as múltiplas inteligências do homem, segundo a teoria de Rovard Gardner, o que os interessa é um ser com nível alto para compreensão lógica matemático, com alto poder de conhecimento tecnológico, com saúde perfeita e que possam ser bem adestrados (manipulados).

Interessante, foi perceber que os autores do filme, não quiseram promover conflitos étnicos, deixando o exterior humano com suas configurações genéticas de origem, ou seja, brancos, negros e asiáticos. Entretanto, ficou uma pergunta que não quer calar, se eu busco a perfeição, será que eu não vou valorizar uma característica, em detrimento de outra? Atualmente, no Japão, homens e mulheres estão fazendo uma cirurgia nos olhos, para ficarem mais amendoados, ocidentalizados. E quanto à cor da pele? Eles não a modificariam como fez Maicon Jackson? Eles deixaram claro que os preconceitos foram modificados, seríamos discriminados pelo modo de nascimento, o natural, cristão, seriam inferiores, como eles salientaram e os por seleção, seriam de primeira linha, ou classe (os perfeitos!).

O filme Gattaca, serviu para uma ótima discussão em sala, onde houve abordagens diversas, cujas palavras chaves são: emoções, inteligências, verdades, ciência, determinismo, superação, determinação obstinação, desumanização, descrédito, preconceito, discriminação, inovação, e também abordamos sobre os interesses dos grandes laboratórios, quebra de patentes, cobaias animais e humanas. No final, uma provocação: Será que não selecionamos os nossos alunos por seu QI (coeficiente de Inteligência)?

Leila Cristina  

Escrito por Professora: Leila Garrido às 19h22
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 
 

Microscópio permite ver coração de pulga batendo

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=microscopio-coracao-pulga-batendo&id=010165100628&ebol=sim

Se quiser ler toda a matéria sobre o vídeo abaixo, clica neste link.

Categoria: Link
Escrito por Professora: Leila Garrido às 13h36
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Microscópio permite ver coração de pulga batendo

Escrito por Professora: Leila Garrido às 13h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 
 

Fenda pode criar ilha gigante na África

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=fenda-separar-africa&id=020175100625&ebol=sim

Lá vai alterar o mapa mundi novamente, os professores de geografia vão ter que mudar o repertório. kkkk

Categoria: Link
Escrito por Professora: Leila Garrido às 13h07
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 
 

USP cria ponto de acesso à internet alimentado por energia solar

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=ponto-acesso-internet-energia-solar&id=010150100625&ebol=sim

Classificação:

Quero um destes lá em casa! rsrsrs

Categoria: Link
Escrito por Professora: Leila Garrido às 13h05
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 
 

Cientistas criam pulmão eletrônico dentro de um chip

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=pulmao-eletronico-chip&id=010110100625&ebol=sim

Classificação:

Esta é para quem tem pena dos bichinhos que são usados como cobaias de laboratório!

Categoria: Link
Escrito por Professora: Leila Garrido às 12h59
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 
 

Criado nanotecido de proteína que pode ser usado no coração

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=nanotecido-proteina-remendar-coracao&id=010160100624&ebol=sim

Classificação:

Já podemos pensar que o nosso coração poderá ser remendado com perfeição! rsrsrsrs

Categoria: Link
Escrito por Professora: Leila Garrido às 12h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 
 

Tinta invisível de elétrons cria nanocristais mais puros

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=tinta-invisivel-nanocristais&id=010165100625&ebol=sim

Classificação:

A equipe do professor Hubertus Marbach inventou uma técnica para o crescimento de nanocristais que permite que mensagens sejam de fato escritas sobre uma pastilha de silício, usando unicamente um feixe de elétrons.

Categoria: Link
Escrito por Professora: Leila Garrido às 12h56
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 
 

Tela sensível ao toque é construída com grafeno

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=tela-sensivel-toque-grafeno&id=010110100623&ebol=sim

Classificação:

Por ser o material de carbono mais fino possível, com apenas um átomo de espessura, o grafeno é ideal para a construção de eletrodos transparentes, necessários para as telas sensíveis ao toque.

Categoria: Link
Escrito por Professora: Leila Garrido às 12h54
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 
 

Indianos projetam moto movida por turbina a ar comprimido

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=moto-movida-turbina-ar-comprimido&id=010170100629&ebol=sim

Classificação:

Já imaginou usarmos motor a ar comprimido nos nossos carros? Seria uma boa solução para acabarmos com a poluição do ar.

Categoria: Link
Escrito por Professora: Leila Garrido às 12h51
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Perfil



Meu perfil
BRASIL, Nordeste, SALVADOR, CENTRO, Mulher, Portuguese, Spanish, Informática e Internet, Música

Histórico